quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

COM QUALQUER TEMPO



Vladimir Kush



“Cheguei a tempo de ver
Que não tenho tempo
Para gastar o tempo
Do tempo que tenho
Para viver

Mas com toda esta falta de tempo
Ainda quero ter tempo
Para te dizer
Que te amo e amarei com qualquer tempo”

4 comentários:

Maria de Fátima disse...

tens uma coisa para ti lá no meu espaço

Justine disse...

Que bela e séria "brincadeira" de palavras!

Graça Pires disse...

Não há tempo para gastar tempo...
Um singelo poema que diz tudo sobre o que fazemos e não fazemos "com qualquer tempo".
Um beijo, Amiga Benó.

Jorge Cardoso disse...

tempo de viver, por isso não o gastemos em futilidades.

gostei!!!

beijo terno...