domingo, 12 de junho de 2011

Descida ao Castelejo





O cheiro a maresia.
O som das ondas.
O perfume das estevas e do alecrim.
O cantar estridente das cigarras.

As gaivotas emudeceram.

O infinito lá em baixo, sem horizonte.
Água e luz.
Oceano e espaço numa simbiose perfeita

3 comentários:

Justine disse...

A tua comunhão com a natureza muito bem expressa, Benó! Tudo muito belo:)))

elvira carvalho disse...

Não sei onde fica, mas a beleza da foto e a poética descrição do lugar deixaram-me com vontade de conhecer.
Um abraço e uma boa semana.

Vamos a ver se é desta que já é a terceira vez que tento deixar o comentário e dá-me sempre erro.

Graça Pires disse...

O poema, tão belo, a expressar a beleza da paisagem...
Um beijo, amiga Benó.