quinta-feira, 28 de junho de 2012

Noite


A noite já se estendeu pelo jardim; sentou-se nos bancos e espreita as flores nos canteiros.
Ouvem-se risos, gargalhadas.
Ali, joga-se às cartas, talvez à sueca, mais ali, à petanca; um grupo de adolescentes estende-se na relva a mirar as estrelas na expectativa de que alguma saia do seu ligar e corra céu fora, e eles dirão: “Deus te guie, Deus te guie e te ponha em bom lugar”. Outros grupos de adolescentes, mais velhos, sentam-se nos bancos virados para o mar e, certamente, contam anedotas ou qualquer outra coisa engraçada pois, de vez em quando, a noite é cortada pelas suas risadas.

Crianças correm, param e tornam a correr, gritam e as mães olham por elas porque a noite não tem luar. Só os candeeiros do jardim iluminam os locais dos jogos. Os homens divertem-se, as mulheres conversam, talvez sobre a carestia das coisas ou sobre os trabalhos que têm entre mãos ou, talvez, quem sabe, acerca das coscuvilhices da vila.
É uma rara noite em que as árvores se aquietaram, os mochos se calaram e o vento adormeceu nos braços do velame dos barcos ancorados na baía.
Talvez apareçam pirilampos.



foto da net.

3 comentários:

mfc disse...

Uma descrição viva de uma noite em que o observador é também o narrador!

Beijos,

elvira carvalho disse...

Finalmente um amigo conseguiu descobrir o que se passava com o meu pc e repará-lo.
Peço desculpa pela ausência, mas se a princípio conseguia abrir alguns depois deixei por completo de conseguir abrir. Levei horas a correr o antivírus a desinstalar programas e a reinstala-los e nada. Por fim um amigo através de um amigo virtual, através de um programa de controlo remoto, levou quase três horas a mexer nele e conseguiu pô-lo como novo. Bem Hajam os amigos.

Adoro noites assim.
Um abraço e bom fim de semana

Justine disse...

Belíssima "pintura", Benó, como só uma pessoa sensível como tu poderia fazer!