sábado, 1 de dezembro de 2007

LEMBRANÇAS DE COIMBRA

Hoje, envolta pela doce nostalgia desta tarde de Novembro, recordei uma cidade que me é muito querida: COIMBRA!
Lembrando a canção: “Coimbra tem mais encanto na hora da despedida” mas, direi eu que ela também tem encanto na hora da chegada.
A última vez que a visitámos foi no Inverno. O Mondego estava cheio, largo e tumultuoso, muito barrento mas belo como sempre. Ao mesmo tempo que nos convidava para um passeio pelas suas margens desafiáva-nos para uma corrida de “quem chega primeiro”.
Aceitámos. Mas o frio começou a brincar comigo pondo-me o nariz vermelho e a pingar. Claro que eu não o podia agarrar e metê-lo no saco, por isso enfiei as mãos nos bolsos do meu blusão azul, aconcheguei o cachecol sem cor ao pescoço e acelerei o passo pois não fosse ele agarrar-me os pés que já começavam a arrefecer.
No inicio do passeio não tinha encontrado o vento mas, de repente, como se tivesse saído zangado de algum esconderijo, ei-lo a soprar duma maneira incerta mas constante, mesmo na minha cara.
Como eu detesto o vento! Mais ainda quando, o seu assobio se faz ouvir por entre as portas e o seu lamento vagueia entre as árvores da alameda.
Tenho pressa de acabar o passeio, o Mondego deixou de me encantar e começo a sentir-me cansada. As pernas exigem uma paragem.
Baixo a cabeça e, em passadas que tento sejam largas, alcanço finalmente as arcadas do meu refúgio: os teus braços.
Deixo-me envolver pelo calor desse peito que me serve de apoio e aí encosto a minha cabeça onde os cabelos brancos já começam a aparecer.
Então, mesmo por cima do marulhar daquele rio ali tão perto o meu coração faz-se ouvir dizendo-me com a voz suave e doce de quem é feliz:
Já chegaste! Descansa!
De mãos dadas e vagarosamente regressámos.
Como eu te adoro Coimbra!

17 comentários:

Nanamada disse...

Amo seu pais e seus trabalhos estão bem interessantes.Bjinhos

Nana Lopes disse...

Voce usa verniz a frio em seu trabalho ou vão para o forno??Bjin e bom domingo!

Judite Pitta disse...

A minha amiga não gosto do vento e eu que tanto que gosto dele, mais até que da chuva. Quando ele nos espevita, obrigando-nos a esforçarmo-nos para o vencer caminhando contra ele, nos despenteia, cabelos no ar, volta e reviravolta e a cabeleira volta a pousar, dessarumada, mas arejada. Que agradável que é, que bem que me sinto. Por isso eu digo que as pessoas que nascem em sítios de vento, são de ideias muito arejadas!!!

Benó disse...

Nanamada, obrigada pelo elogio aos meus trabalhos.Fiz uma visita ao seu sítio e quem não se lembra das imagens de Doré nos contos de Perrault, como por ex. A historia do Capuchinho Vermelho?. Em "O Corvo", o famoso The Raven? ou nas Fábulas de La Fontaine? Imagens que ilustram a minha meninice. Obrigada por me recordar esses tempos agradáveis de doce fantasia. Voltarei com prazer e mostrarei mais alguns dos meus trabalhos.

Benó disse...

A minha resposta a Nana Lopes.Um olá muito querido para você. As minhas porcelanas vão várias vezes à mufla sòmente com a tinta aplicada,o verniz é da própria porcelana.Também fiz uma visita ao seu sitio e, simplemente adorei. Ainda bem que encontrou o seu caminho e espero que o percorra no seu passo, pois nunca
é tarde para nos encontrarmos a nós próprios.
Tenha também uma boa semana.
Obrigada.

Cubo de Gelo disse...

Mas, não percebi uma coisa...

Se bem concluí, a Benó mora em Sagres mas também refere no seu post que detesta o vento???

Um pouco contraditório, não acha? - Ou será que ele também a ajuda a encontrar inspiração como as minhas cabrinhas e a Serra? :-)

Benó disse...

A minha resposta ao Cubo de Gelo:
Eu, Benó pessoa, moro numa terra de vento, é verdade.
Quem escreve não é a Benó/pessoa mas a Benó/narradora.
Nada de confusão.Para dar um ex. quando A.Garrett escreve Frei Luis de Sousa, ele A.Garrett não é o Telmo nem o Frei Jorge, nem o Romeiro nem NINGUEM; é o escritor.
Percebido, sr.Cubo de Gelo?

elvira carvalho disse...

Muito bonito o post. Também gosto muito de Coimbra apesar de ter más recordacões da cidade...
Um abraço e uma boa semana.
Um abraço e uma boa semana

Luciana disse...

Coimbra cidade linda de que eu tb gosto muito....

blog bonito e interessante..
um beijo

risonha disse...

olhem só... até a minha amiga luciana já anda por aqui no blog da benó.... eh eh eh
é por isso que é bom os links dos blogs dos amigos a circular, arrecada mais visitantes.
benó, obrigado pelos elogios deixados no meu blog. os slides do blog da paróquia também fui eu que fiz sabia? beijocas

lll_Artemis_lll disse...

Olá, obrigada pela sua visita ao meu cantinho. Claro que pode fazer a receita c franga ou galinha, depende do seu gosto
Bjokas
Ana

livia soares disse...

Bela postagem.
Um abraço.

Laurinha disse...

Benó! Vim conhecer seu espaço e agradecer a visita no meu!
Li um por um dos seus post! Que delícia de textos, que lindas pinturas, quanto capricho!
Adorei!
Já coloquei nas atualizações do meu blog, viu!
Beijinhos,

Swt disse...

Obrigada pela visita ao meu blog tão modesto.
Adorei o seu e parece-me uma querida!
Vou voltar mais vezes.

Tania disse...

Há algo no seu modo de escrever que me faz sentir serenidade. Obrigada pelo bonito passeio.

Um abraço.

Baby disse...

Mas que belo texto, este que nos fala de Coimbra, mais própriamente do lendário rio Mondego...um encanto a descrição deste passeio numa provável tarde de Outono em que gelou "correndo" contra o vento, mas em que tudo acabou bem, no aconchego de um abraço quente, pois ele estava lá, à espera, como sempre...

Lázaro Carneiro disse...

Portugal sempre povoou nossos sonhos,
me parece que ai tudo é belo, desde Lisboa até a mais simples aldeia.

Felicidade à você e todos os seus.