sábado, 8 de dezembro de 2007

O Meu Penico


Este, encontrei-o entre os vários pertences que me foram legados pela minha avó. É uma peça antiga de porcelana toda branca. Olhei-a e, imediatamente, decidi torná-la mais alegre e mais vistosa decorando-a totalmente com flores para lhe dar um ar bem primaveril.
A utilidade deste meu objecto é, e sempre foi, meramente decorativa, como se depreenderá.
Agarrei em papel, tesoura e cola. Com alguma imaginação pus mãos à obra e recortando e colando transformei um penico sem uma graça especial nesta peça tão alegre e com o meu toque bem pessoal.
Coloquei-o num dos armários da minha sala de leitura, bem em evidência, e o espaço por ele ocupado ganhou em colorido.

Vaso de noite, também se chamava a estas peças utilitárias mas, claro, também podiam ser usadas de dia. Podíamos encontrá-las praticamente em todos os lares, principalmente, nos meios rurais, todas brancas em cerâmica ou em esmalte e também em alumínio; todas lisas, com decorações pintadas à mão ou por decalque, mais ou menos todas do mesmo tamanho quer fossem usadas por “sim-senhores” pequenos ou “sim-senhores” grandes.
Ah! E, actualmente, também há os penicos das Caldas, bem interessantes. Mas esses ficam para outras conversas.

Para acabar esta minha prosa, aqui vos deixo esta quadra do nosso tão conhecido António Aleixo que nos dá mais um substantivo para tão conhecida peça.


Doutores, nobre e ricos,
Homens de grandes valores!...
As criadas – aos penicos,
Também lhes chamam “doutores”!


11 comentários:

Nanamada disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.Benó querida, excelente quadrinha! MInha avó possuia uma peça dessas. Aqui não mais a vemos exceto para crianças e em material plástico. Obrigada pela visita.Bom domingo!bjs

Nana Lopes disse...

Suas pinturas são feitas a frio ou depois voce volta ao forno??

Judite Pitta disse...

Qualquer peça que saia das mãos da minha amiga, com a sua imaginação, sensibilidade e gosto apurado, fica transformada numa obra de arte. Até um vulgar, apagado e modesto PENICO!
.... e o nosso Aleixo tinha uns dizeres muito apropriados. Já não se fabrica hoje em dia, daquela massa!

lll_Artemis_lll disse...

Desculpe so agora ter visto o comentário com a pergunta sobre o pudim.Bato sempre o pudim com a batedeira dos bolos.
Bjokas
Ana

O Árabe disse...

E aqui, no Brasil, são também chamados "comadres"... só não me pergunte porquê! :)

livia soares disse...

Olá, Benó.
Achei bacana a postagem sobre o penico. Ele ficou bem bonito, depois de decorado pelas suas artes. Aqui no Brasil, na região onde nasci e passei a infância (Caicó, Rio Grande do Norte, sertão do Nordeste brasileiro), penico antigamente se chamava "capitão".
Um abraço.

Bethania disse...

oi benó!, obrigada pela visita. Acho o seu penico muito lindo!, adoraria ter umo na minha casa.
beijos do Mexico..

Benó disse...

Obrigada a "O Arabe" e "A Dama Oculta" por teem vindo enriquecer o meu vocabulário com mais dois termos para o "vaso de noite"

risonha disse...

estou de boca aberta ao constatar o que resultou de um simples penico branco... a minha "Brisa" também tem um penico em loiça que eu lhe ofereci (não tão bonito como o seu) que normalmente costumamos levar á mesa com mousse de chocolate... é sempre uma risota entre os convidados...

helena disse...

Olá Benó, uma artista com sentido de humor. Parabéns!
Obrigada pela sua visita ao Orion.
Mas tenho que lhe dizer que eu também sou portuguesa, mesmo professora de Português.
Creio (pareceu-me) que julgou que eu era brasileira.
Claro que adoro os nossos poetas.
Um beijinho

Lázaro Carneiro disse...

olá, Benó que orgulho saber que uma artista de portugal está lendo minhas poesias, os termos um pouco estranhos se deve ao motivo de eu ser um regionalista, mas como escreveu Fernado Pessoa o rio mais importante nao é o tejo mas o corrego que passa no fundo de minha aldeia. quanto aos segredos tambem tenho os meus e "nem as paredes confesso" feliz natal e um 2008 cheio de criatividade pois sua obra é muito linda. agardo novos recados.