quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Alta Madrugada


O silêncio foi quebrado

Ruído nada envergonhado

As luzes tão intensas!...

As conversas eram imensas

Era tal o movimento

Tudo muito barulhento!

Os minutos numa coreria

Assim, nova hora surgia

Já alta madrugada

Eu permanecia acordada

Enquanto alguém dormia

Meu pensamento corria

Minha mente vagueava

No real e até sonhava

E assim em descoberta

Encontrou a vereda certa

Para um campo que sorria

Com espaços para a poesia.



Do livro "POEMAS" da minha amiga e colega de estudos do Centro de Estudos de Lagos Natália Rio, vos deixo este lindo poema.

3 comentários:

risonha disse...

bonito poema mesmo... adorei

Graça Pires disse...

Bonito poema o da sua amiga Natália Rio.
Obrigada pelo comentário que deixou no meu "Ortografia". Gostava de dizer-lhe que apenas sou uma pessoa com alguma nostalgia, mas não triste. Os poemas que vou pondo no blogue são de muitas épocas e por isso correspondem a diversos estados de espírito. Um grande beijo.

Baby disse...

Parabens a Natalia e parabens a Beno que o escolheu, gostei muito do poema.
Bom Domingo para si, amiga Beno.
Beijinhos