domingo, 22 de junho de 2008

A Poesia


Ouvi (li) há dias, numa destas salas virtuais, onde de tudo se lê e se vê, onde se entra sem ser necessário pedir licença, como: se me permitir voltarei novamente ….pois, o espaço é imenso e cabemos todos, mas dizia eu, assisti (li) a uma troca de ideias sobre POESIA.
As opiniões cruzavam-se, umas doces, suaves, emitidas timidamente, vindas, concerteza, de apaixonados por poesia, talvez de alguém que tem na poesia o seu “amante” e encara este modo de comunicar como parte intrínseca do seu ser, como o plasma necessário ao seu viver, como se a própria pessoa fosse a POESIA.
Outras vinham rápidas e ligeiras como dardos atirados por guerreiros em luta com invisíveis inimigos.
Algumas eram acutilantes.
Eu, pelo menos, senti assim, e não participei no debate.
Os pareceres sucediam-se uns aos outros, num diz-tu-direi-eu interessante de seguir e, com a rapidez própria, de quem está habituado a bater em teclas.
Notava-se calor forte no debate e vontade de fazer valer o seu ponto de vista, de cada um, claro.
Mas, por fim, chegaram à conclusão, os intervenientes na discussão, de que não era assunto para ser debatido numa caixinha de “Comentários”.
Talvez, digo eu, num frente a frente como o “Prós e Contras” se pudesse ficar a saber alguma coisa do tema em questão, embora, naquele programa televisivo, eu fico sempre na mesma, isto é, se dúvidas tinha, com dúvidas fico.
Afinal o que é a POESIA?
Será assunto para ser debatido numa aula de literatura?
Então cabe aos académicos classificá-la. Satírica, épica, erótica, popular?
Onde encontrá-la? Como distingui-la?
Para mim, que sou leiga na matéria, sinto-a nas mais diversas formas. Quando leio, quando observo, quando ouço, no olhar trocado entre um casal de namorados, nos gestos imprecisos dumas mãos de criança e, até na tristeza sentida de quem sofre, na resignação do seu próprio sofrimento.



6 comentários:

Deusa Odoyá disse...

Minha nova amiga do lado de lá.
Felicidades e amor em seu coração.
Todos nós somos poetas, basta sermos sonhadores e uma mão a escrever.
o resto amiga, vem fluir do fundo da nossa alma.
Se vc quiser berá no meu blog, o que escrevi sobre poetas.
amiga fique na paz e mil estrelinhas em sua vida.

Regina Coeli.

Ventura disse...

Passei para te deixar um beijo de Boa Noite...!
Fica Bem

Justine disse...

Benó, começo por agradecer a tua simpática opinião, deixada no meu "canto". Achei deliciosa a tua descrição da aventura ciclista, que levaste tranquilamente até ao fim,sem tropeçar em nenhum dos nossos "bastões"! Acho que a qualidade dos textos está a aumentar.

Quanto ao tema interessantíssimo que introduzes no teu post, de facto e poesia pode ser tanta coisa: grito de raiva, punho levantado, gesto de ternura ou apenas - e sempre - outra maneira de dizer o silêncio.
Seria para fazer uma mesa redonda, nunca um "Prós e Prós"...:))

Graça Pires disse...

O que é a poesia? A resposta só pode ser dada por quem a sente, por quem a faz, por quem a lê...
Um beijo amiga Benó

elvira carvalho disse...

Pois eu concordo consigo. AQ poesia aparece-nos diariamente das mais variadas formas.Na mãe que amamenta o seu bebé, no botão de rosa que desabrocha no jardim, no azul dos céus, ou no raio que cruza o espaço.
Um abraço e bom fim de semana

Sobre mim... disse...

Olá Benó, muito obrigada pela visita e comentário no meu Blog.

A Poesia é a maneira como olhamos o que nos rodeia e o sentido que damos ás coisas...um desencadear de sentimentos...são registos ditados pelo coração.

Bem hajas
Paula Martins