terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Vazio

Fuga de Wassily Kandinsky
Num fugaz momento de vazio, o pincel aquietou-se entre os dedos da mão que há pouco tempo tu segurares entre as tuas.
E a fuga aconteceu.
Os pensamentos transbordaram para além do querer e encheram o espaço vazio que me rodeava.
O branco da tela calou o seu desejo de arco-iris e a paleta colorida dos meus sentimentos emudeceu.

O cosmos deixou de existir, tal foi o estremecer do meu coração vazio.

Naquele fugaz momento, nada fez sentido.
Só o silêncio e a recordação do teu abraço.




10 comentários:

Um Momento disse...

E as tuas palavras sentidas encheram este vazio tornando-o num lindo momento
Esse abraço ...relembro eu com um sorriso , um beijo e o desejo de um dia lindo
Foi muito bom ter-te conhecido minha Querida Benó, muito bom
Bem Hajas e ... obrigada

(*)

Graça Pires disse...

A recordação de um abraço pode, tantas vezes, preencher o vazio da solidão...
Um beijo Benó

Espaço do João disse...

Podemos considerar que há o vazio? Eu não creio, pois o espaço está sempre ocupado. Assim como não se consegue o zero absoluto, também não há vazio.

Baby disse...

Maravilhosa,esta tua "fuga", mas não nos deixes por muito tempo...que que as tuas palavras sempre tão sentidas, são indispensáveis AQUI!

Gostei das palavras, gostei do Kandinsky.

Beijos.

O Árabe disse...

Lindo casamento, Benó, entre imagem e texto! :) Boa semana, amiga.

Baby disse...

Tá combinado...vamos ouvir Michael Buble...
Bom Domingo!
Beijinhos.

elvira carvalho disse...

Passei. Deixo um abraço e os votos de bom feriado.

Justine disse...

E que bom é ter abraços para recordar!
Aqui fica um (com pena de não teres aparecido na 6ª...:))

livia soares disse...

Bonito, Benó.
Eu gosto de vir aqui porque vc por vezes me comove - e o que me comove se torna precioso para mim.
Um abraço.

Ana Oliveira disse...

Depois de ter recebido a sua visita vim saudá-la no seu espaço e vejo que tem estado ausente, espero que esteja tudo bem.

Beijos

Ana