sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

De Cá Para Lá

click to comment

Com o meu pensamento abro a porta que me fechaste. Abro-a ou derrubo-a? Transponho-a e rapidamente passo de cá para lá.
Não raras vezes, o lá é melhor que o cá mas, adoro saltar e brincar e, assim vou desfrutando do prazer de viver mesmo que me feches a porta que teimosamente quero aberta.
Quando estou lá, quero vir para cá, mas lá o espaço é enorme, grande demais e tornou-se agora vazio.Por isso imediatamente me domina uma vontade imensa de regressar.
Regressar?
Correr sem fim pelo jardim que me criaste, saltar e fazer piruetas no ar, brincar às escondidas sabendo que me vais encontrar num abrir e fechar de olhos, mas enfim regressar. E sei, que ao fechar a porta do meu pensamento, neste silêncio que me criaste posso ouvir a voz da saudade falar alto, tão alto que chego a recear que a ouças e não compreendas. Não compreendas a saudade que sinto quando estou do lado de cá.
Só!

5 comentários:

amor de arte disse...

Benó vc me deixou mt contente com sua visita,fiz este blog pra compartilhar em publico tudo oq tenho aqui, nao aprendi sozinha pq ser egoista nao é????

temos q repartir o pao assim nosso senhor nos deixou

foi um prazer imenso te conhecer, beijos no seu coraçao

tenho msn marciacg1974@hotmail.com
se vc quiser bater um papinho estou aberta e meu orku é este q vou te passar o endereço

http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=10647800351696065172

espero sua visita beijos

Ana disse...

Ola Beno, obrigado por ter ido ate ao meu blog. Nao posso dizer que sei pintar, as vezes la faco umas "coisas" mas nada de jeito.
Uma coisa eh certa da para enfeitar as paredes.
A Beno mora em Sagres? Eh curioso ainda ha pouco me estava a lembrar dos anos que passei ai as minhas ferias. Eramos sempre um grupo enorme alugavamos casas e mesmo no Inverno davamos um salto ate Sagres, faziamos caca submarina, ainda me lembro das petiscadas com as "bruxas" e sargos que apanhavamos, a noite iamos ate um bar que se chamava "O Dromedario". Ja nao vou ai desde os anos 90, agora ja deve de estar tudo diferente, era uma vila tao linda, tao sossegada....
Beijinhos

Graça Pires disse...

A solidão.O silêncio a pesar como pedras. Gostei muito do texto.
Um beijo.

elvira carvalho disse...

Estou por aqui há um bom bocado. E pelo que li me parece que você escreve com a mesma arte com que pinta. Gostei imenso do que li.
E gostei muito do poema da Natália Rio. Posso fazer uma pergunta? A poetisa é de Lagos? Chamou-me a atenção o Rio porque me parece que não é um apelido comum. Meu marido é de Lagos e ostenta esse apelido.
Desejo uma boa semana.
Um abraço

Espaço do João disse...

Querida Benó.
Arte e pintura são espaços que estão bem enraizdos na sua maneira de ser. Gosto imenso de passar por seu espaço. Abraços João