sábado, 4 de julho de 2009

Mundo Louco


A hipótese tem sido colocada várias vezes.

Quais as vantagens de estar algum tempo, numa ilha deserta, SÓ!!!!!!

O que levaria comigo?

O desejo de me isolar, de estar só e meditar.

A partir daqui, poria em prática a minha imaginação para sobreviver.


-Não teria que aturar gente chata.

-Não ouviria gritos nem berrarias

-Dormiria quando tivesse sono, fosse noite ou fosse dia, sem obrigação de horários.

-Aproveitaria para pôr em prática uma dieta rigorosa para perder alguns quilos que estão a mais em locais onde não devem (certamente haveria fruta na ilha)

-Não me debateria com o problema de não ter nada para vestir: folhas não faltariam para me cobrirem. E, à noite......

-Poderia estar a olhar para as estrelas todo o tempo que me apetecesse sem que estivessem sempre a chamar-me.
E, no fim do meu isolamento nessa tal ilha, nasceria, talvez.uma vontade louca de lá continuar.
Não ouviria falar em guerras nem em pessoas que morrem à fome, não saberia de crianças raptadas, maltratadas, usadas; mulheres violadas, violentadas, espezinhadas pelos seus semelhantes; não saberia de aviões que caiem, sem se saber porquê, roubando a vida a filhos, pais, amigos de gente que ficará destroçada infinitamente nem teria conhecimento de gente que por pôr o pé no chão errado, fica estropiado ou mesmo sem vida.

Mas não! Não quero viver numa ilha isolada.

Quero sim, viver neste mundo louco e puder dar o meu contibuto para que ele seja um pouquinho menos louco, em cada dia que passa.
imagem da net

3 comentários:

Baby disse...

Ah bommm...assim concordo, também não quereria viver numa ilha deserta, sentiria muito medo de não ter nada nem ninguém que me valesse numa eventualidade...Viva este mundo louco!

Beijinhos do coração.

Ana Oliveira disse...

Olá Benó.
Deixe que lhe diga que concordo com tudo (então a dieta nem se fala)
mas também não queria ficar lá, longe do sofrimento, mas também longe do amor dos outros, não compensa, não é?

Beijos

Ana

Espaço do João disse...

O silêncio é de oiro e a palavra é de prata. Gostoimenso do isolamento, se tivesse meios de subsistência sem que ninguém me perturbasse, seria divinal. Cair sobre os meus sonhos, analizar meus pensamentos , ver nascer o dia e cair a noite não haveria coisa mais bela. Esquecer que há loucos a destruirem este recanto do universo,esquecer que há vida e há morte, seria das coisas mais belas que me podia acontecer.