sábado, 13 de fevereiro de 2010

Uma Vida



Sentada à mesa da cozinha, Elvira preparava a caldeirada de peixe que o mestre da armação lhe tinha vindo trazer. Tamboril, raia, patarroxa, tremelga e safio. Não era preciso maior diversidade para que o almoço estivesse à altura dos convidados.

O mar, que se habituara a escutar e a conhecer nas suas diferentes marés, era o sustento de todos os que habitavam naquela aldeia mas, hoje era dia de folga e seriam cinco pessoas que, sem nada de importante para tratar, não tinham obstáculo algum em levar toda a tarde a comer e a conversar sobre tudo e mais alguma coisa do que se passava naquela vila, que ela já considerava como sua. Iria sentar à mesa, neste dia de caldeirada, o sr. prior, pessoa já idosa mas ainda com bom apetite, o mestre do barco de pesca onde o seu homem andava e a sua madrinha que não via há imenso tempo por habitar noutra povoação.

A vida, madrasta que tinha sido, colocara-lhe no caminho mil e um obstáculos à realização de seu desejo de ser feliz
Mas soubera contorná-los e com os amigos que agora ia sentar à sua mesa sentia-se preparada para enfrentar e vencer todas as duras batalhas que porventura, ainda estivessem na estrada que lhe faltava percorrer. Não estaria sózinha, desta vez.

Após uma existência cheia de obstáculos transpostos muito dificilmente dada a sua condição de mulher só e pobre, ei-la agora de bem consigo e com a vida.
Ali, naquela aldeia piscatória, encontrara alimento para o corpo e sossego para o espírito na companhia dum pescador, alegre e trabalhador, destemido para o mar, que tão bem sabia encher de afectos o seu coração sedento de ternura e mirrado de afectos..

Nos momentos de solidão, quando a tristeza a invadia e lhe lembrava todos os escolhos do seu passado, dirigia-se à praia e, sentada na areia, dava graças por ter conseguido sobreviver a todas essas dificuldades e ter encontrado, por fim, um porto de abrigo para a nau sem timoneiro que era a sua alma.

Agora, por fim,estava a conseguir sobreviver num mar sem obstáculos.



OBSTÁCULO foi a palavra proposta no PPP, há algums semanas.

9 comentários:

tulipa disse...

BENÓ
Obrigado por mais um momento delicioso, lendo-a. Parabéns pela maravilhosa escrita.

Sobre o fim de semana do Carnaval, apenas transcrevo uma frase que descobri hoje, acho o máximo, de verdadeira que é:

As pessoas afivelam uma máscara, e ao cabo de alguns anos acreditam piamente que é ela o seu verdadeiro rosto. E quando a gente lha arranca, ficam em carne viva, doridas e desesperadas, incapazes de compreender que o gesto violento foi a melhor prova de respeito que poderíamos dar.
(Miguel Torga)

Beijinhos.
Boa semana.

Nônô disse...

Olá boa noite
Tanto o texto quanto a história estão muito bem!
Parabéns!
(Calculo que seja de sua autoria)
E uma caldeiradazita de peixe...agora marchava, gosto muito.
Bjocas

Benó disse...

Tulipa
É verdade o que Miguel Torga escreveu mas para os terceiros, uma máscara será sempre uma máscara. Um faz-de-conta.
Obgda.pela visita.

Benó disse...

Nônô,
Obgda. pela visita. É um prazer recebê-la.
Com o mar zangado como tem andado é difícil arranjar peixe para caldeirada.
Tudo que publico nos meus blogues é de minha autoria. Quando isso não acontece, procuro sempre identificar o autor e deixo isso expresso na mensagem.
Esclarecida?
Um abraço grande.

Maria Bettencourt Lemos disse...

Absolutamente Magnifico o que aqui escreveu..parabéns Benó!
Um grande abraço,
Maria Lemos

Graça Pires disse...

Uma bela história, amiga Benó.
Um beijo.

Baby disse...

Sempre excelentes as suas estórias,
onde a sua imaginação constrói uma realidade muito bem alicerçada.
Mas já estamos habituadas ao seu preciosismo...
Quanto à caldeirada, pena só ter sabido hoje...

Beijinhos.

Noemia Travassos disse...

Que bom é sentir a paz depois da tormenta ainda que ela tenha sido longa.... ter a consciência de bem com a existência também é uma forma de felicidade.
Gostei muito da naturalidade como nos passou esta mensagem Benó, mas devo confessar que me abriu o apetite para uma caldeirada de pescador. Até breve. Noémia

maybe disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^