domingo, 17 de julho de 2011

Insignificâncias



"A minha vida faz~se de pequenas coisas

que não ficarão para a história do planeta,

nem do país

nem da cidade,


pequenas coisas insignificantes que são apenas minhas

pequenas insignificâncias

pequenas coisas de nada

que não mudam o sentido

de todas as outras grandes coisas

nem a sua universal singularidade

a sua verdadeira dimensão de idênticas pequenas coisas


embora essas possam ficar para a história do mundo,

ou do país

ou das cidades


que também se fazem dessas mesmas pequenas coisas

exactamente iguais às minhas"



pela pena de Vieira Calado, do seu livro Poemas soltos & dispersos

imagem de Benó

4 comentários:

elvira carvalho disse...

Excelente escolha amiga. Gosto muito deste poeta, de quem também já um dia publiquei no Sexta um poema.
Um abraço e uma boa semana

Justine disse...

A nossa vida é feita de pequeninas coisas, e é dessas que vamos retirando alguma felicidade!
Um beijo e obrigada pelo poema, Benó!

Graça Pires disse...

Poema com o cunho de Vieira Calado. Sempre muito sensível...
Um beijo, amiga Benó.

Baby disse...

De pequenas coisas se faz a vida dos grandes poetas.
Beijo de saudade.